Publicado por Revista Frizz
Gostou do artigo? Compartilhe!

Uso precoce do salto alto pode gerar problemas nos pés e na coluna

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

 

Não há como negar que a moda fascina as mulheres há muito tempo. E não é para menos. Todos os
dias, campanhas, desfiles e vitrines as cercam com tudo que há de mais novo no assunto.
 
Entretanto, tentar seguí-la a todo custo pode prejudicar a saúde. Mães que possuem filhas adolescentes
têm tido cada vez mais dificuldade em negar a elas a utilização de salto alto, devido à adaptação do
calçado ao público infantojuvenil.
 
O ortopedista pediátrico e cirurgião de pé e tornozelo Marco Makoto, do IVOT (Instituto de
Videoartroscopia, Ortopedia e Traumatologia) de Londrina, faz um alerta. “Não é recomendável que
meninas utilizem salto alto até os 13 anos de idade. Nessa fase elas estão em desenvolvimento músculo-
esquelético e qualquer alteração no calçado é perigoso.”, explica o médico.
 
De acordo com o ortopedista, o uso cada vez mais precoce pode acarretar em problemas ortopédicos
muitas vezes irreversíveis. “Não respeitar esse limite pode implicar em assumir o risco de causar
deformidades nos pés, além de problemas nas pernas e até na coluna”, alerta o especialista.
 
“O salto alto também aumenta a lordose lombar, principalmente nas mulheres, em que a pelve já é
inclinada para frente. Isso altera muito a postura e aumenta o estresse na coluna, provocando dores na
região.” continua o médico.
Ele alerta também que as formas dos sapatos são causadores de deformidades nos pés, principalmente
os calçados de bico fino pressionam os dedos. “As principais deformidades que ocorrem nesses casos
são o hálux valgo (famoso joanete) e os dedos em garra, que na maioria necessitam de tratamento
cirúrgico”, esclarece.
 
Para o ortopedista, é preciso estabecer um equilíbrio entre o bem-estar e a moda. “É importante
atentarmos à saúde do corpo, e não levar tudo que se vê em um editorial de moda ao pé da letra.”,
completa Makoto. A orientação do médico é evitar utilizar saltos acima de 5 cm, por mais de 3 vezes na
semana e por mais de 4 horas seguidas. “Pode-se se estabelecer um rodízio de calçados de alturas
diferentes.” Ele ressalta, porém, que o salto não é totalmente prejudicial. “Calçados com pelo menos 2 a
3 cm de salto são benéficos pois melhoram a circulação das pernas.”
 
Uma boa dica da reportagem de Frizz é fazer alongamentos diários sempre que utilizar saltos e se
houver dúvidas, consulte o ortopedista.

Não há como negar que a moda fascina as mulheres há muito tempo. E não é para menos. Todos osdias, campanhas, desfiles e vitrines as cercam com tudo que há de mais novo no assunto.

Entretanto, tentar seguí-la a todo custo pode prejudicar a saúde. Mães que possuem filhas adolescentes têm tido cada vez mais dificuldade em negar a elas a utilização de salto alto, devido à adaptação do calçado ao público infanto-juvenil.

O ortopedista pediátrico e cirurgião de pé e tornozelo Marco Makoto, do IVOT (Instituto de Videoartroscopia, Ortopedia e Traumatologia) de Londrina, faz um alerta. “Não é recomendável que meninas utilizem salto alto até os 13 anos de idade. Nessa fase elas estão em desenvolvimento músculo-esquelético e qualquer alteração no calçado é perigoso.”, explica o médico.

De acordo com o ortopedista, o uso cada vez mais precoce pode acarretar em problemas ortopédicos muitas vezes irreversíveis. “Não respeitar esse limite pode implicar em assumir o risco de causar deformidades nos pés, além de problemas nas pernas e até na coluna”, alerta o especialista.

“O salto alto também aumenta a lordose lombar, principalmente nas mulheres, em que a pelve já é inclinada para frente. Isso altera muito a postura e aumenta o estresse na coluna, provocando dores na região.” continua o médico.

Ele alerta também que as formas dos sapatos são causadores de deformidades nos pés, principalmente os calçados de bico fino pressionam os dedos. “As principais deformidades que ocorrem nesses casos são o hálux valgo (famoso joanete) e os dedos em garra, que na maioria necessitam de tratamento cirúrgico”, esclarece.

Para o ortopedista, é preciso estabecer um equilíbrio entre o bem-estar e a moda. “É importante atentarmos à saúde do corpo, e não levar tudo que se vê em um editorial de moda ao pé da letra.”, completa Makoto. A orientação do médico é evitar utilizar saltos acima de 5 cm, por mais de 3 vezes na semana e por mais de 4 horas seguidas. “Pode-se se estabelecer um rodízio de calçados de alturas diferentes.” Ele ressalta, porém, que o salto não é totalmente prejudicial. “Calçados com pelo menos 2 a 3 cm de salto são benéficos pois melhoram a circulação das pernas.”

Uma boa dica da reportagem de Frizz é fazer alongamentos diários sempre que utilizar saltos e sehouver dúvidas, consulte o ortopedista.

Autor

Dr Marco Makoto Inagaki

Dr Marco Makoto Inagaki

Ortopedista e Traumatologista, Ortopedista

Especialização em Ortopedia e Traumatologia no(a) Hospital das Clinicas - USP.