Gostou do artigo? Compartilhe!

Puxão no braço causa pronação dolorosa em crianças

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

 

Quantas vezes você já brincou de girar com uma criança, segurando-a pelo antebraço ou a levantou pela mão para pular um obstáculo? Então. É bom ter cuidado. Essas brincadeiras aparentemente inofensivas são uma das principais causadoras da pronação dolorosa. O alerta é do ortopedista pediátrico Marco Makoto Inagaki, do Hospital Ortopédico de Londrina. 
Segundo ele, a pronação dolorosa é uma lesão frequente no cotovelo de crianças abaixo de 5 anos de idade, ocasionada pela tração da mão e do punho no sentido longitudinal. O que ocorre, por exemplo, ao segurar a criança pela mão para evitar uma queda. 
''Nesta idade a cabeça do rádio, osso lateral do antebraço, é envolta por um ligamento que se encontra frouxo, permitindo seu deslocamento ao ser tracionado'', aponta o especialista. ''Com esse deslocamento, ocorre uma luxação ligamentar e o osso acaba encostando no nervo e provocando uma grande dor no cotovelo, podendo se refletir também no punho e ombro.'' 
Inagaki cita que os primeiros reflexos de um possível caso de pronação dolorosa são a criança chorar ao ser vestida, sentir os movimentos do braço limitados e até mesmo evitar usá-lo. 
Ele acrescenta que esse tipo de luxação, na maioria dos casos, logo se resolve com uma manobra realizada pelo ortopedista e uso do gesso ou tala pelo período de aproximadamente uma semana. Casos que necessitem de cirurgias são muito raros.
O ortopedista detalha que o que define a necessidade ou não de uma cirurgia para solucionar a pronação dolorosa é a permanência da dor. No entanto, ele esclarece que a cirurgia é simples e dura cerca de 20 minutos. ''O que o médico vai fazer basicamente é abrir e tirar o ligamento que se encontra bem no meio da articulação, reposicioná-lo e suturar'', explica Inagaki, acrescentando que a recuperação inclui a mobilização do braço dos pequenos por cerca de uma semana. Depois disso, a criança é encaminhada para sessões de fisioterapia por mais ou menos 30 dias. 
Inagaki cita que atende, me média, seis pacientes com pronação dolorosa em crianças por mês. Nas férias escolares, o número de casos aumenta. ''Por isso é tão importante a atenção dos pais em relação a qualquer tipo de reclamação de dor dos filhos. Além de prestar atenção nas brincadeiras que as crianças realizam entre elas, com amigos, irmãos ou mesmo com eles mesmos'', complementa.

Quantas vezes você já brincou de girar com uma criança, segurando-a pelo antebraço ou a levantou pela mão para pular um obstáculo? Então. É bom ter cuidado. Essas brincadeiras aparentemente inofensivas são uma das principais causadoras da pronação dolorosa. O alerta é do ortopedista pediátrico Marco Makoto Inagaki, do Instituto de Ortopedia de Londrina (IVOT) e Hospital Ortopédico de Londrina. 
Segundo ele, a pronação dolorosa é uma lesão frequente no cotovelo de crianças abaixo de 5 anos de idade, ocasionada pela tração da mão e do punho no sentido longitudinal. O que ocorre, por exemplo, ao segurar a criança pela mão para evitar uma queda. 
''Nesta idade a cabeça do rádio, osso lateral do antebraço, é envolta por um ligamento que se encontra frouxo, permitindo seu deslocamento ao ser tracionado'', aponta o especialista. ''Com esse deslocamento, ocorre uma luxação ligamentar e o osso acaba encostando no nervo e provocando uma grande dor no cotovelo, podendo se refletir também no punho e ombro.'' 
Inagaki cita que os primeiros reflexos de um possível caso de pronação dolorosa são a criança chorar ao ser vestida, sentir os movimentos do braço limitados e até mesmo evitar usá-lo. 
Ele acrescenta que esse tipo de luxação, na maioria dos casos, logo se resolve com uma manobra realizada pelo ortopedista e uso do gesso ou tala pelo período de aproximadamente uma semana. Casos que necessitem de cirurgias são muito raros.
O ortopedista detalha que o que define a necessidade ou não de uma cirurgia para solucionar a pronação dolorosa é a permanência da dor. No entanto, ele esclarece que a cirurgia é simples e dura cerca de 20 minutos. ''O que o médico vai fazer basicamente é abrir e tirar o ligamento que se encontra bem no meio da articulação, reposicioná-lo e suturar'', explica Inagaki, acrescentando que a recuperação inclui a mobilização do braço dos pequenos por cerca de uma semana. Depois disso, a criança é encaminhada para sessões de fisioterapia por mais ou menos 30 dias. 
Inagaki cita que atende, me média, seis pacientes com pronação dolorosa em crianças por mês. Nas férias escolares, o número de casos aumenta. ''Por isso é tão importante a atenção dos pais em relação a qualquer tipo de reclamação de dor dos filhos. Além de prestar atenção nas brincadeiras que as crianças realizam entre elas, com amigos, irmãos ou mesmo com eles mesmos'', complementa

 .

Autor

Dr Marco Makoto Inagaki

Dr Marco Makoto Inagaki

Ortopedista e Traumatologista, Ortopedista

Especialização em Ortopedia e Traumatologia no(a) Hospital das Clinicas - USP.