Gostou do artigo? Compartilhe!

Qual peso ideal das mochilas?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Começo de ano e lá vão os pais comprar o material escolar, equipamentos e acessórios que os filhos utilizarão em mais um ano letivo. A preocupação é com o preço, qualidade e em agradar, na medida do possível, os gostos das crianças. Muitas vezes, porém, os pais acabam esquecendo de algo que é fundamental e pode acarretar em sérios problemas para os filhos: o modelo da mochila.

É bastante comum encontrar estudantes queixando-se de dores musculares, nos ombros e nas costas. Mochilas com peso além do ideal podem trazer uma série de problemas de saúde às crianças a longo prazo. A mais comum e que geralmente se manifesta mais rapidamente é a lombalgia, quadro doloroso na região lombar, a parte inferior das costas. Bastante frequente em adultos acima dos 40 anos, ela atinge também as crianças, normalmente consequência mochila pesada. "É importante que os pais fiquem atentos e ajudem a organizar a mochila dos filhos. A exigência das escolas é alta em relação aos materiais diários e é importante organizá-los de acordo as aulas do dia, para evitar materiais e peso em excesso", frisa o ortopedista Marco Makoto Inagaki, de Londrina. 
"A mochila muito pesada leva a criança ou o adolescente a fazer mais esforço do que pode suportar. Isso acarreta postura incorreta e desvios posturais, como a escoliose e a hipercifose", acrescenta a fisioterapeuta Carolina Monte Constantino, lembrando que o corpo das crianças ainda não está desenvolvido e, consequentemente, não está preparado para sobrecargas. Segundo ela, as mochilas não devem ultrapassar 10% do peso do estudante. Uma criança de 40 quilos, por exemplo, deve carregar uma mochila de no máximo quatro quilos. "O correto é pesar a mochila, com o material que a criança costuma carregar diariamente, para certificar-se de que o peso não vai sobrecarregar o aluno", orienta. 
Mochila com muitos bolsos e a forma como ela é carregada também são problemas na visão da fisioterapeuta. "Quanto mais bolsos, mais coisas as crianças e adolescentes vão querer levar. Além disso, a mochila nunca deve ser carregada de um lado só. É preciso colocar uma alça em cada ombro", reforça. "As alças devem ter o mesmo comprimento e precisam ser reguladas de forma que a base da mochila fique na linha da cintura", orienta. 
 

ATIVIDADE FÍSICA 
Em muitos casos, a atividade física é uma importante aliada, como aponta o ortopedista. "Algumas atividades ajudam muito a fortalecer e alongar a musculatura da coluna, melhorando a postura e condicionamento, ajudando a prevenir problemas mecânicos nessa região", aponta Inagaki. 
Ele reforça ainda a necessidade de procurar um médico logo nos primeiros sinais de problemas provocados pelo excesso de peso das mochilas, já que assim maiores são as chances de evitar problemas mais graves. "Em alguns casos, é necessário o uso de medicamentos para aliviar a dor. A fisioterapia muitas vezes também ajuda a complementar o tratamento." 
"Reeducação postural, pilates e exercícios de consciência corporal são importantes tanto na prevenção como no fortalecimento muscular e no tratamento de eventuais problemas", complementa a fisioterapeuta.

Autor

Dr Marco Makoto Inagaki

Dr Marco Makoto Inagaki

Ortopedista e Traumatologista, Ortopedista

Especialização em Ortopedia e Traumatologia no(a) Hospital das Clinicas - USP.